NÃO VAI TER GOLPE!

Bispo Sinvaldo Coelho

Estas têm sido as palavras utilizadas por interlocutores de um grupo político que tem sede de poder e quer manter-se a todo custo no governo, mesmo que para isso promovam terrorismo e um embate civil entre classes sociais.

São defensores do assim chamado “estado de direito”, mas qual estado de direito? O deles, de fazerem de tudo, seja abertamente ou em surdina, para manterem-se no poder?

Não um poder qualquer, porém um poder absoluto, nepotista, corporativista, ditatorial, que não aceita nenhuma contrariedade aos seus pensamentos e determinações e que tenta manipular os menos esclarecidos e carentes de nossa população com bolsas de auxílio, quando deveriam promover a educação, a saúde, a segurança pública, a capacitação para que alcançassem por meritocracia níveis mais altos em seus empregos e na sociedade, trazendo dignidade a todos e não dependência contínua de políticos mal intencionados que pretendem manter o povo inculto para facilitar os seus próprios interesses pessoais.

Em outro aspecto, existe uma parte da população formada por um grupo que deseja exatamente isto para continuar gozando do privilégio de não fazer absolutamente nada para mudar a sua condição socioeconômica por meio dos estudos e trabalho árduo e que deseja manter este “estado de direito” para permanecer usufruindo das migalhas do estado.

O segundo grupo é composto por aqueles que desejam manter este estado de coisas para continuar ocupando seus altos cargos comissionados nas mais diversas estâncias governamentais a custo de uma política de assistencialismo e compra de votos com a troca de favores políticos e indicações para as funções estatais que trazem grande prestígio e polpudos salários com ampla oportunidade de conchavos nas concorrências públicas e grandes obras junto às empreiteiras e empresas particulares.

Ora! Será que já não se instalou em praticamente todas as áreas e níveis de poderes em nosso país o golpe?

Golpe contra o povo que se sustenta a duras penas com um esforço descomunal para cumprir suas obrigações familiares, empregatícia e ainda cobrir o rombo da Petrobras pagando um preço absurdo nos combustíveis quando a política internacional paga os preços mais baixos no barril.

Golpe contra o povo que por falta de uma política séria e honesta tem que buscar auxílio médico nas farmácias praticando a automedicação, pois, não encontra médicos suficientes para atendê-los nos hospitais e muito menos remédios.

Golpe contra a moralidade, contra a honestidade, contra a integridade, quando vemos, ouvimos e aprendemos que quem se dá bem no Brasil são os espertos, os que possuem “QI”, os apadrinhados, aqueles que desvirtuam as leis ao seu favor.

Golpe contra os mestres quando pagamos salários ridículos à maioria absoluta dos professores, não valorizamos a carreira e perdemos os excelentes educadores e formadores de uma nação para outras profissões que apesar de dignas, mas que não possuem a função de formar uma nação.

Golpe contra a família constituída, célula manter da sociedade, que tem por meta educar e formar seus filhos quando a mesma é atacada por todos os lados, seja por decisões governamentais ou pela televisão que com sua programação imoral denigre a honestidade e fidelidade no lar, questiona o casamento tradicional, inculca que tudo é relativo e permissivo em uma sociedade pós-moderna.

Golpe contra a Igreja quando dizem que o cristianismo é o ópio do povo, quando relativizam as verdades absolutas da Palavra de Deus, quando criam leis e mecanismos para amordaçar a boca de seus profetas e tentar impedi-los de proclamar a única verdade que pode mudar transformar e impedir este estado de deteriorização moral, familiar, social e cívica que estamos vendo em nossa sociedade.

Golpe contra Deus quando tentamos ser deuses, salvadores da pátria, senhores da terra e não O adoramos, não O proclamamos em nossas decisões, em nossa pátria e achamos que somos capazes de resolver os nossos dilemas atuais, vindouros e eternos sem reconhecê, sem busca-Lo e sem pedir o Seu auxílio.

Golpe contra nós mesmos, contra nossos entes mais queridos, quando aceitamos tudo isso pacatamente e não demonstramos nossa insatisfação, mas, simplesmente trocamos o nosso voto por uma telha, uma camiseta, um prato de feijão, um favor político e depois ficamos a murmurar pelos cantos, sendo que, estes senhores são fruto (consequência) de nossa sociedade e de nosso voto, pois fomos nós que os formamos e que os colocamos onde estão.

Por tudo isso acima descrito e por conhecer os valores transformadores da palavra de Deus contidos nas Sagradas Escrituras, por saber que Deus deseja implantar Seu Reino de paz, de justiça e de amor sobre a terra é que não posso ficar alijado ao processo, distante de todos os fatos.

Não! Eu não me esconderei! Eu não me calarei! Eu não ficarei de largo!

Colocar-me-ei de pé, na torre de vigia, clamarei bem alto ao Senhor, entregarei minha vida como sacrifício vivo, santo é agradável, conclamarei aqueles que estão ao meu redor para o jejum, a oração, as vigílias, os clamores.

Tocarei trombeta na Região! Tocarei trombeta em São Paulo! Gritarei bem alto: “Onde estão os Elias do tempo presente”? Levantarei a minha voz aos céus, aos quatro

cantos da terra e suplicarei para que Deus levantem “Davis” e “Samueis” para este tempo de destruição.

Clamarei com todas as forças de minha alma a Deus: “Levanta-te em nosso auxílio, e resgata-nos por amor das tuas misericórdias.” – Sl. 44.26.

Declararei a todo o povo que se chama pelo nome do Senhor dos Exércitos: “assim, agora mesmo diz o SENHOR: Convertei-vos a mim de todo o vosso coração; e isso com jejuns, e com choro, e com pranto. E rasgai o vosso coração, e não as vossas vestes, e convertei-vos ao SENHOR vosso Deus; porque ele é misericordioso, e compassivo, e tardio em irar-se, e grande em benignidade… Tocai a trombeta em Sião, santificai um jejum, convocai uma assembleia solene. Congregai o povo, santificai a congregação, ajuntai os anciãos, congregai as crianças, e os que mamam; saia o noivo da sua recamara, e a noiva do seu aposento. Chorem os sacerdotes, ministros do SENHOR, entre o alpendre e o altar, e digam: Poupa a teu povo, ó SENHOR.” – Joel 2.

Proclamarei a todos aqueles que não creem em Deus: “O tempo está cumprido, e o reino de Deus está próximo. Arrependei-vos, e crede no evangelho.” – Mc. 1.15. “Arrependei-vos, pois, e convertei-vos, para que sejam apagados os vossos pecados, e venham assim os tempos do refrigério pela presença do Senhor.” – At. 3.19.

Bp. SCC 20160317

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s